Pular para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade
Seu Verão também é aqui

Alepe e ONG Gestos lançam exposição Faces do HIV e promovem debate sobre o tema

Postado em 30 de novembro de 2023

A campanha convidou pessoas vivendo com HIV/AIDS que aceitaram participar voluntariamente como modelos da exposição e relatar suas experiências de vida e sobre o preconceito

Apesar dos avanços da medicina em relação à prevenção e a convivência com o vírus da imunodeficiência adquirida, o HIV, e a Aids, o preconceito, a falta de conhecimento e o estigma continuam como os piores adversários. Para refletir sobre o tema, analisar como as múltiplas faces da rejeição e discriminação afetam as pessoas que convivem com HIV/Aids, a Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), em parceria com a ONG Gestos (Soropositividade, Comunicação e Gênero) e a Internacional Aids Society (IAS) promovem a exposição “Faces do HIV”.


A exposição é gratuita e poderá ser visitada entre 4 e 15 de dezembro, mês nacional de enfrentamento e prevenção à Aids. A abertura acontecerá às 16h da próxima segunda-feira (04.12). As fotografias ficarão expostas no hall superior do Edifício Governador Miguel Arraes, na sede da Alepe, na Rua da União. Também haverá debate sobre ‘Prevenção Combinada ao HIV e Enfrentamento ao Estigma’ para estudantes da rede pública do estado. 

O debate acontecerá também na segunda-feira (04), às 14h, no Auditório Ênio Guerra (ALEPE). O evento terá a participação de algumas das pessoas fotografadas na exposição, além de profissionais da instituição e integrantes do Grupo de Trabalho em Ativismo Jovem (GT Jovem) da Gestos.


Os quadros retratam pessoas vivendo com HIV/AIDS que optaram, voluntariamente, por ser símbolos do enfrentamento ao estigma e preconceito. O trabalho é assinado pelos fotógrafos Nina Luna e Helder Ferrer. A exposição mostrará personagens que tiveram a coragem de compartilhar experiências reais de sorofobia (preconceito e discriminação contra PVHAs) e o impacto que isso tem em suas vidas, além de reflexões empoderadas sobre o que é viver com HIV/Aids. 

Na avaliação da coordenadora geral da Gestos, Alessandra Nilo, as pessoas retratadas nas fotografias simbolizam um ato de coragem. "Em um contexto de estigmatização de sujeitos e violação de direitos sociais, dar rosto à luta contra o preconceito é um ato de coragem”, destacou. 


Para Alessandra, superar o preconceito e a sorofobia é, ainda hoje, o maior desafio para uma resposta efetiva ao HIV, uma vez que, segundo ela, tais comportamentos criam barreiras sociais que impedem a busca pela testagem e o início do tratamento antirretroviral. 


Segundo o superintendente geral da Alepe, Isaltino Nascimento, a exposição Faces do HIV tem como meta mostrar que o vírus não escolhe gênero, sexo ou classe social e que é preciso informação e trabalho de concientização para acabar com o preconceito. “Trouxemos essa exposição para Alepe para mostrar que conviver com a doença é bem mais difícil quando tem preconceito. O soropositivo não deve ser excluído da sociedade. Mostrar as pessoas e debater o tema na casa do povo pernambucano ajuda a quebrar o estigma e se torna uma ferramenta importante de conscientização”, enfatizou.


Enfrentamento É importante destacar que a estigmatização permanece viva mesmo depois de 40 anos da descoberta do vírus da imunodeficiência adquirida, do HIV, e a Aids. Para o ativista e estudante de ciências sociais Max Lobato, um dos modelos retratados pela exposição, as fotos deixam muito evidente um aspecto que precisa ser sempre enfatizado. “O HIV é, na verdade, uma pauta política e não uma relação de saúde, porque é atravessada por interseccionalidades, onde a raça e a identidade de gênero são as principais delas. Isso é um reflexo desses movimentos externos que acontecem, de não acolhimento, de não garantia dos direitos sociais”, afirma. 


Estatísticas De acordo com o Índice de Estigma e Discriminação em Relação às Pessoas Vivendo com HIV/Aids - estudo realizado em 2019 pela Gestos em parceria com o Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS) e a Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS) em cinco capitais brasileiras (Recife, Salvador, Porto Alegre, São Paulo e Manaus) - pelo menos seis em cada dez pessoas (64,1%) que vivem com HIV e Aids já sofreram estigma ou discriminação. 

No Recife, 28% das pessoas entrevistadas pela pesquisa demoraram e/ou não iniciaram o tratamento antirretroviral por medo de que familiares e pessoas conhecidas descobrissem sua condição sorológica; outras 24,7% tiveram medo de que profissionais de saúde e médicos revelassem suas sorologias sem seu consentimento.

Comentários

Prefeitura de Gravatá

Postagens mais visitadas deste blog

OUTUBRO ROSA

Postado em 04 de outubro de 2023 Inteligência Artificial e rastreamento personalizado são os novos aliados no combate ao câncer de mama   O combate ao câncer de mama ganhou uma poderosa aliada: a inteligência artificial. É uma notícia alentadora em meio ao crescimento de taxas de câncer de mama em países como o Brasil e surge como reforço ao movimento internacional Outubro Rosa. Nenhuma tecnologia substitui o cuidado humanizado com a saúde da mulher, mas especialistas destacam que a Inteligência Artificial (IA) tem feito grande diferença na rotina diagnóstica, ajudando a melhorar a qualidade das imagens e apontando achados sutis que podem mostrar o câncer em estágios iniciais. O indicativo é que a IA pode contribuir a partir dos algoritmos de “deep learning”, com o objetivo de potencializar o aprendizado de máquinas, utilizando técnicas avançadas que empregam um raciocínio similar ao ser humano, fazendo com que as máquinas aprendam padrões por meio das redes neu

Atenção!

Postado em 19/04/23 A Prefeitura de Gravatá informa que na manhã desta quarta-feira (19), um jacaré foi capturado na Rua Quintino Bocaíuva, próximo ao Rio Ipojuca. A equipe da Guarda Municipal passava no local quando foi comunicada e, ao isolar o local, acionou o Corpo de Bombeiros para a captura do animal. Alertamos a todos que se avistarem algum animal selvagem, não se aproximem e acionem imediatamente a equipe da Defesa Civil, Guarda Municipal ou Corpo de Bombeiros para realizar a captura. Mantenha-se seguro e alerta em sua comunidade, e sempre comunique às autoridades caso observe algum animal que possa representar um risco. Juntos, podemos manter nossa cidade segura! Gravatá, 19 de abril de 2023. - Defesa Civil e Guarda Municipal 0800 000 1379 - Bombeiros Militar 193

Grupamento de Bombeiros do 1º GB realizou Treinamento Integrado de Resgate em Gravatá

Postado em 29 de maio de 2024 Participaram da atividade a Defesa Civil, o Samu, a Polícia Militar, a Guarda Civil Municipal e a Secretaria de Saúde O Grupamento de Bombeiros do 1° GB organizou uma iniciativa importante, reunindo diversas entidades para uma aula teórica seguida de treinamento integrado e prático. A instrução de resgate em Áreas Inundadas e Sistema de Comando de Incidentes (SCI) aconteceu segunda-feira (27) no quartel dos bombeiros de Gravatá. Participaram da atividade a Defesa Civil, o Samu, a Polícia Militar, a Guarda Civil Municipal e a Secretaria de Saúde. Este treinamento é o primeiro passo para a realização de ações práticas que envolvem instituições da linha de frente em cenários de desastres, promovendo a cooperação e aprimoramento das técnicas de resgate e resposta a emergências. Reportagem: Mathilde Souza com colaboração da Defesa Civil Fotos: cortesia da Defesa Civil