Pular para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade
Seu Verão também é aqui

COLUNA DO ROD SILVA: O LAMENTO DAS NOSSAS TRADIÇÕES


Sentávamos à beira da fogueira para assarmos milho e conversarmos noite a dentro, até sentirmos o açoite do vento frio vindo do Planalto da Borborema, tendo a fogueira como cobertor.


Quem me dera voltar no tempo e poder viver e sentir o verdadeiro São João. O São João de antigamente. Que maravilha era poder fazer a fogueira, enfeitar a casa, a rua onde morava e participar do concurso da rua mais enfeitada. Lembro que a Rua 21 de Abril ganhava sempre. 

Lembro que quando chegava a noite, acendíamos a fogueira e ficávamos a esperar os balões que cortavam o céu de Gravatá. Sentávamos à beira da fogueira para assarmos milho e conversarmos noite a dentro, até sentirmos o açoite do vento frio vindo do Planalto da Borborema, tendo a fogueira como cobertor. À medida em que as fogueiras começavam a se apagar, a cidade adormecia e apenas o som do Forró trazido pelo vento se fazia ecoar. Era o Forró vindo dos palhoções. Havia um certo lirismo no ar; havia tradição e respeito por ela. 

Hoje, todos nós que vivemos as Festas Juninas de outrora, ficamos indignados com o rumo desajeitado que essa tradição tão nossa, tão embrionária das nossas raízes, tomou. Um bom exemplo disso, são as “quadrilhas juninas,” que se transformaram em um espetáculo que mais lembra uma ala de Escola de Samba e nem de longe, representa o São João. 

Com todo respeito ao Samba, mas tradição é tradição e não pode ser mudada, pois perde a sua identidade, a sua originalidade. Essas quadrilhas de hoje se apresentam de forma luxuosa, com carros alegóricos e efeitos especiais, para parecerem bonitas e, portanto, se encaixarem no padrão da mídia oportunista e seus concursos anuais. Cadê a originalidade da quadrilha matuta? Será que esse pessoal sabe o que é isso?

Partindo para o lado musical, a conjuntura ainda piora, pois o que vemos são bandas que se dizem de Forró com letras de gosto bastante duvidoso, quando não de duplo sentido, que se apresentam em mega espetáculos, protagonizados por “cantores” de óculos escuros e “cantoras” vestidas com roupas sensuais. E pensar que Luis Gonzaga, Jackson do Pandeiro e Trio Nordestino, foram pioneiros em levar o Forró para o resto do Brasil, no intuito de quebrar as barreiras do preconceito com a Música Nordestina. Décadas depois, essas bandas aparecem para estragar tudo. 

A nossa língua, a Língua Portuguesa, é a nossa maior identidade. Em combinação com as nossas tradições, acaba por germinar um casamento perfeito e muito nos representa de verdade, pois isso se chama cultura. E a nossa verdadeira Cultura Nordestina vem de muito longe no tempo e não pode ser mutilada dessa forma. 

Há quem diga que em Gravatá (PE), ainda é possível ver essas tradições de antigamente nos bairros periféricos, em bem menor número claro. parecendo um gueto de resistência, quando na verdade essa tradição deveria ser protagonista do palco principal do Pátio de Eventos. Cultura e Tradição fazem bem à nossa Identidade Nordestina e não tem contra-indicação.

Comentários

Prefeitura de Gravatá

Postagens mais visitadas deste blog

OUTUBRO ROSA

Postado em 04 de outubro de 2023 Inteligência Artificial e rastreamento personalizado são os novos aliados no combate ao câncer de mama   O combate ao câncer de mama ganhou uma poderosa aliada: a inteligência artificial. É uma notícia alentadora em meio ao crescimento de taxas de câncer de mama em países como o Brasil e surge como reforço ao movimento internacional Outubro Rosa. Nenhuma tecnologia substitui o cuidado humanizado com a saúde da mulher, mas especialistas destacam que a Inteligência Artificial (IA) tem feito grande diferença na rotina diagnóstica, ajudando a melhorar a qualidade das imagens e apontando achados sutis que podem mostrar o câncer em estágios iniciais. O indicativo é que a IA pode contribuir a partir dos algoritmos de “deep learning”, com o objetivo de potencializar o aprendizado de máquinas, utilizando técnicas avançadas que empregam um raciocínio similar ao ser humano, fazendo com que as máquinas aprendam padrões por meio das redes neu

Atenção!

Postado em 19/04/23 A Prefeitura de Gravatá informa que na manhã desta quarta-feira (19), um jacaré foi capturado na Rua Quintino Bocaíuva, próximo ao Rio Ipojuca. A equipe da Guarda Municipal passava no local quando foi comunicada e, ao isolar o local, acionou o Corpo de Bombeiros para a captura do animal. Alertamos a todos que se avistarem algum animal selvagem, não se aproximem e acionem imediatamente a equipe da Defesa Civil, Guarda Municipal ou Corpo de Bombeiros para realizar a captura. Mantenha-se seguro e alerta em sua comunidade, e sempre comunique às autoridades caso observe algum animal que possa representar um risco. Juntos, podemos manter nossa cidade segura! Gravatá, 19 de abril de 2023. - Defesa Civil e Guarda Municipal 0800 000 1379 - Bombeiros Militar 193

Grupamento de Bombeiros do 1º GB realizou Treinamento Integrado de Resgate em Gravatá

Postado em 29 de maio de 2024 Participaram da atividade a Defesa Civil, o Samu, a Polícia Militar, a Guarda Civil Municipal e a Secretaria de Saúde O Grupamento de Bombeiros do 1° GB organizou uma iniciativa importante, reunindo diversas entidades para uma aula teórica seguida de treinamento integrado e prático. A instrução de resgate em Áreas Inundadas e Sistema de Comando de Incidentes (SCI) aconteceu segunda-feira (27) no quartel dos bombeiros de Gravatá. Participaram da atividade a Defesa Civil, o Samu, a Polícia Militar, a Guarda Civil Municipal e a Secretaria de Saúde. Este treinamento é o primeiro passo para a realização de ações práticas que envolvem instituições da linha de frente em cenários de desastres, promovendo a cooperação e aprimoramento das técnicas de resgate e resposta a emergências. Reportagem: Mathilde Souza com colaboração da Defesa Civil Fotos: cortesia da Defesa Civil